27 junho, 2012

Cansada demais até para pensar num título


Porque as vezes vem uma exaustão do peso do otimismo. Sim, porque pensar que as coisas vão melhorar, que todos gostam de você, que a calça tamanho 38 vai caber, que a criança da esquina não vai virar traficante em alguns anos, que algumas das pessoas que te cercam todos os dias são altamente confiáveis, que o pão ainda pode chegar quentinho em casa, que o vizinho vai sair de casa e não será assaltado, que os cachorros abandonados na rua não serão chutados por algum desalmado, não, não é fácil. Principalmente quando você vê o oposto de tudo isso: as coisas tendendo a piorar. A hipocrisia das pessoas que enchem a boca para falar do amor que sentem pelo próximo, mas na primeira oportunidade que tem se fazem de surdas para os problemas alheios; a calça 40 é a única que serve da loja inteira; ninguém apostava nada na criança da esquina que passa os dias brincando na rua e a única pessoa que apostou todas as fichas nela foi aquele rapaz que distribuía doces para a garotada e que agora dá dinheiro para ele ficar observando o movimento do local, com a promessa que um dia ele vai ser igualzinho ao herói da comunidade; o pão da padaria continua ruim e frio, sempre é o de ontem que sobrou por lá, porque falta prazer nas mãos daquele que amassa a massa; o vizinho saiu de casa e não foi assaltado, mas chutou o “cachorro idiota que não pára de latir” da porta da casa dele, sem nem ao menos ter o cuidado de olhar a razão daquilo tudo: um pequeno prego semi enfiado na pata do pobre bicho; e claro, o vizinho não foi assaltado, mas o pai dele foi, quando estava saindo do banco. É difícil acreditar no melhor quando tudo caminha na direção contrária. Não estou achando que porque tudo diz “não” deve –se desacreditar na humanidade, em mim, ou nada disso. Só queria deixar claro que estou cansada de carregar esse peso do otimismo sozinho e que eu já estou ficando com dores na coluna. E no fim das contas esse desabafo nem é para contar dessas dores e sim para deixar claro que eu não tenho mais disposição para fingir que elas não existem. 

"Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"
(Teatro Mágico)



2 comentários:

Verônica. disse...

Que template lindo. Você que fez?

Beijos

Maíra K. disse...

Mas não devemos NUNCA fingir que elas não existem. Devemos SEMPRE tentar enxergá-las com muita clareza e lutar pela melhoria! E quem disse que isso seria fácil? Tudo que vem com esforço, NOSSO esforço, é mais gratificante. :)